Existem games que conseguem se alojar na nossa memória, principalmente quando a experiência é marcante. Esse com certeza é o caso de Dead Space, um dos melhores games do gênero Survival Horror, game que marcou época, revitalizando o gênero e trazendo um terror muito mais refinado.

Com o anúncio de Dead Space Remake que vai estar chegando em 2023 e The Callisto Protocol, que chega ainda em 2022, cheio de ligações Dead Space, essa é uma boa hora de trazer um review desse clássico no Games Ever.

  • Jogo: Dead Space
  • Desenvolvedora: EA Redwood Shores
  • Publicadora: Electronic Arts
  • Lançamento: 13 de outubro de 2008
  • Número de Jogadores: Single Player
  • Gênero: Survival Horror
  • Plataformas: PlayStation 3, Xbox 360, PC
  • Site Oficial: Dead Space EA

Dead Space, um ‘Visceral Game’

Muitas desenvolvedoras ficam famosas devido a um game, ou uma franquia, apesar de terem anos de estrada e terem desenvolvido diversos outros jogos. Esse é o caso da Visceral Games, praticamente anônima até o lançamento de Dead Space.

A desenvolvedora foi fundada em 1998, com sede em
Redwood City, Califórnia, com o nome de EA Redwood Shores, sendo uma subsidiária da gigante Electronic Arts (EA). Apenas em 2009 foi renomeada para Visceral Games.

A desenvolvedora trabalhou e diversos jogos, os mais conhecidos são a série PGA Tour, James Bond, e seus maiores sucessos foram, Dantes Inferno Dead Space. Infelizmente a Visceral Games foi fechada pela EA em outubro de 2017, após Dead Space 3 não conseguir atingir as expectativas, e seus funcionários transferidos para os estúdios EA Vancouver e EA Montreal.

Uma engenharia de terror e suspense

A vastidão do espaço sempre esteve no imaginário humano, e esse imaginário tomou formas mais claras em Alien, 8 passageiro, clássico filme de ficção e terror, considerado um filme épico. Quem assistiu, sabe o quanto o filme é tenso, sombrio e amedrontador.

Nos games, o terror se consolidou no final da década de 90, com a Capcom lançando Resident Evil. O game é cheio de menções ao terror já conhecido no cinema, com um enredo clichê e sustos pontuais, o game logo se tornou uma das franquias de maior sucesso e deu uma cara ao gênero Survival Horror.

Dead Space nos apresenta o melhor desses dois universos. Com uma história cheia de mistérios e desencontros, aliado a ambientes com visuais perturbadoramente distorcidos dentro de uma nave cheia de monstros e aparentemente abandonada. Os sustos não são mais pontuais, e a sensação de fragilidade é constante.

Tudo começa quando a Concordance Extraction Corporation perde o contato de rádio com uma de suas naves de mineração da classe Planet Cracker, a USG Ishimura, com isso o engenheiro Isaac Clarke é enviado em uma missão de rotina para reparar sua rede de comunicações, um trabalho comum.

Entretanto, não é só isso que motiva Clarke a ir até a USG Ishimura, ele também está em uma missão própria, devido ter recebido recentemente uma mensagem misteriosa de Nicole Brennan, uma oficial médica que serve a bordo do Ishimura. A mensagem não faz sentido algum para Clarke, e quando ele desembarca na USG Ishimura, ele percebe que algo está muito errado. Não há mais como retroceder.

Uma tripulação devastada

Enquanto todos estávamos acostumados com os zumbis de Resident Evil, ou os seres aterrorizantes de Silent Hill, Dead Space nos trouxe uma nova classe de inimigos. Os Necromorphs. Cada classe de Necromorph apresenta características próprias, com ataques diferentes dos que estamos acostumados, e principalmente com uma agressividade elevada.

Em Dead Space, não basta explodir cabeças ou derrubar os inimigos. As diversas classes de Necromorph requerem uma estratégia diferente, entretanto, a melhor maneira de eliminar essas criaturas, é desmembrando elas. Entretanto, você não pode falhar, pois, nossos inimigos podem se regenerar. Nesse caso se prepare não para um inimigo lento e moribundo, mas sim para um ser furioso, rapido e extremamente agressivo.

Mesmo os inimigos iniciais de Dead Space, são agressivos e rápidos. Inicialmente você vai ter poucos recursos, e jma arma básica, criada pelo nosso engenheiro. Aliás, Clarke faz um ótimo uso de suas habilidades, conseguindo com o passar do jogo, melhorar sua erma inicial, assim como seu traje.

Outro fator que causa muita tensão no jogo, é a inteligencia dos inimigos. Eles vão se esconder em frestas, quartos e dutos de ventilação sempre que puderem. Esqueça os zumbis lentos que ficam rastejando, os Necromorphs estão muito além disso. Você pode sempre querer atirar nas pernas dos inimigos, isso faz a diferença, pode acreditar.

Mecânicas modernas

Dead Space introduziu novas maneiras de jogar, se adaptando e prevendo tendências que hoje são quase que unanimidades nos jogos. Essa nova forma acompanhou o jogo nos 3 games da franquia sendo um dos fatores que tornam o game tão divertido.

Esqueça os mapas, eles até existem, mas servem como um tipo de arquivo que apresenta a nave da maneira mais detalhada. Ele fundamentalmente não serve mais apenas para se localizar em Dead Space você dificilmente vai se perder. Mesmo o game sendo linear e sempre colocar você no caminho certo, você ainda tem um indicador que mostra onde você deve ir.

Seria como os objetivos que aparecem diretamente no mapa, como acontece em Tomb Raider ou Horizon, mas de uma maneira mais discreta, já que essa indicação, desaparece após um tempo em Dead Space. Mas você pode usar ela a todo momento.

Outro fator que torna o game uma experiência mais moderna é que tudo que você precisa saber está em tempo real na sua frente. O traje de Clark mostra os principais recursos que ficam sempre a vista. A energia vital é mostrada como a espinha dorsal de Clark. Seu Stasis também fica sempre à mostra no traje.

No que se diz respeito ao menu, você acessa ele em tempo real na tela, como se fosse uma imagem mostrada no visor do capacete de Clark. A sensação que temos é que tudo acontece em tempo real, deixando o jogo com um dinamismo ímpar.

Esses fatores anteciparam a tendência que temos hoje nos games, onde ficar muito tempo perdido, ou administrando seus recursos em inventários, não são a tendências nesse tipo de jogo. A experiência vivida nos primeiros Survival Horror está otimizada em Dead Space, deixando mais tempo para você jogar e se divertir efetivamente.

Customizado sua experiência

Falando nisso, Dead Space também proporciona um ótimo Nivel de customização para suas armas e trajes. Você pode melhorar praticamente todos seus acessórios através de um sistema bastante inteligente.

Como os monstros que você está matando já foram pessoas, eles ocasionalmente soltam créditos que podem ser gastos nas lojas automatizadas que você encontrar. Isso faz muito sentido, já que a USG Ishimura é quase uma cidade. Você vai poder estar atualizando seus trajes e armas em terminais e bancadas específicas, tudo comprado com. Esses créditos.

Atualizações de RIG, itens de saúde, novas armas e munição adicional podem ser comprados, e se você encontrar um novo esquema de item e levá-lo a uma loja, também poderá comprá-lo, aperfeiçoando seus trajes e armas. O gerenciamento de estoque é um elemento-chave, pois você só pode transportar alguns kits médicos ou cartuchos de plasma. No caso de você ficar sobrecarregado, você pode vender seus produtos desnecessários ou jogá-los no no seu armário pessoal para usar mais tarde em qualquer outro local onde você encontre esses terminais.

Como engenheiro, você pode usar os terminais de nanotecnologia a bordo do Ishimura para atualizar suas armas e equipamentos, tornando eles cada vez mais eficazes contra os inimigos, que também vão ficando cada vez mais fortes.

Em Dead Space os itens atualizáveis tem uma placa de circuito organizada como uma árvore de habilidades e, ao soldar esses nanocircuitos, a funcionalidade pode ser oyimizada. Por exemplo, as armas podem ter seu dano e tamanho slot de munição aumentados, e Isaac pode até aumentar a saúde máxima de seu RIG ou a duração de sua habilidade de estase, por exemplo.

Voce vai poder usar sua habilidade para otimizar suas armas e unifoeme, tornando Clarke bem mais resistente e agressivo.

Gráficos e ambientação sonora

Graficamente falando, Dead Space nos apresenta gráficos cheios de detalhes e com um clima de tensão únicos. Todos os ambientes são ricos em detalhes, e mesmo no escuro, eles transparecem bem tida a tecnologia da Ishimura.

Como estamos dentro de uma nave, os ambientes não são tão diversificados, mas nos poucos momentos em que estamos no espaço, a riqueza gráfica do jogo fica mais evidente. As construções monumentais são épicas no melhor estilo sci-fi. Essa é uma das experiências mais marcantes em Dead Space.

A experiência sonora em Dead Space torna tudo ainda mais aterrorizante e tenso. Ao circular pelos longos e escuros corredores da USG Ishimura, você vai se deparar com os agressivos Necromorphs e, embora nem sempre possa vê-los, você está constantemente cercado pelos ruídos ameaçadores que eles produzem dentro dos duetos de ventilação ou por detrás das paredes. Os ruídos que esses inimigos fazem enquanto rastejam pelos ambientes é assustador.

Sons de ossos quebrando ou ruídos inelegíveis fazem com que o game tenha uma alta carga de terror psicológico ao explorar ambientes desconhecidos. Além disso, desmembrar os Necromorphs também fazem emitir um som no mínimo.

Você ocasionalmente ouvirá os gritos distantes de vítimas de Necromorph ou o canto assustador de um sobrevivente mentalmente desequilibrado, e efeitos ambientais como os gerados pela liberação repentina de uma explosão de vapor o manterão na ponta de seu assento. Talvez o uso mais impressionante de áudio em Dead Space ocorra no vácuo: quaisquer sons que se originem fora do capacete de Isaac são abafados e quase inaudíveis, enquanto aqueles de dentro, incluindo sua respiração e grunhidos de dor, são amplificados.

Dead Space – Vale a pena?

Apesar de todos esses anos que se passaram desde o lançamento de Dead Space, o game definitivamente vale a pena. Sua ambientação única, é um terror Sci-fi extremamente bem ambientado trazem uma diversão ímpar.

Explorar os corredores da USG Ishimura ainda é extremamente prazeroso, e mesmo que você saiba exatamente o que fazer, toda a tensão e horror continua no game, a cada Necromorph que aparece, é a cada inimigo que destroçamos.

Com a chegada de Dead Space Remake no início de 2023, voltar a jogar o lançamento original só nos faz lembrar o quanto precisávamos de Dead Space Remake e não sabíamos.

Dead Sparce | Review

Gráficos - 9
Jogabilidade - 9
Diversão - 9.5
Som - 9
Dificuldade - 7.5
Fator Replay - 9

8.8

Ótimo

Sons de ossos quebrando ou ruídos inelegíveis fazem com que o game tenha uma alta carga de terror psicológico ao explorar ambientes desconhecidos. Além disso, desmembrar os Necromorphs também fazem emitir um som no mínimo.

User Rating: No Ratings Yet !
Clássico do PS1 com troféus A principais notícias do dia 15 de maio