Hora de falar de games Retrô, e de falar dos jogos do Sega Saturn, voltando no meu passado gamer, pois tive o console em meados de 1997. The Mansion of Hidden Souls foi um dos games que joguei no fantástico console da SEGA, e vamos falar um pouco desse jogo abaixo.

Confira abaixo as minhas impressões de The Mansion of Hidden Souls tantos anos depois do seu lançamento, e se ainda hoje, vale desenterrar esse game de terror e suspense.

The Mansion of Hidde Souls Logo
  • Jogo: The Mansion of Hidden Souls
  • Desenvolvedora: System Sacom, Tokai Communications
  • Publisher: Tokai Communications, Sega
  • Lançamento: 09 de dezembro de 1993
  • Número de Jogadores: Single Player
  • Gênero: Click-and-Point / Adventure
  • Plataformas: Sega Saturn

Uma história de terror com meninas e mansões

Engraçado como por mais que uma história possa parecer ingênua, quando ela é aplicada no início de um gênero dentro dos games, ela acaba tomando uma proporção gigantesca. Eu me lembro de Splatterhouse, Ghost n’ Gobblins e posteriormente The Mansion of Hidden Souls, e como esse terror que me impressionava tanto, hoje eu vejo como algo tão ingênuo. Enfim.

A história de The Mansion of Hidden Souls começa quando em uma noite qualquer, dois irmãos – Samantha e Johnathan – encontram uma borboleta enquanto exploram um campo gramado. Encantada com a beleza assombrosa da borboleta, Samantha passa a persegui-la desesperadamente. Johnathan passa a seguir a irmã relutantemente, repetindo os avisos da vovó, qua havia alertado os irmãos sobre supostos fantasmas que vagam pela área e transformam as pessoas em borboletas.

Entretanto Samantha continua a perseguir a borboleta de maneira a não perceber o quanto se distancia do local aonde estavam. Ao se afastar cada vez mais os irmãos acabam se deparando com algo que nunca haviam visto antes.

A borboleta leva Samantha para uma Mansão, e sem hesitar a garota adentra a construção, onde ela fica presa. Nesse momento, como Johnathan, o jogador deve explorar a Mansão, precisando superar vários quebra-cabeças, momentos de suspense e tensão e escapar com sua irmã antes que os dois se tornem residentes permanentes nessa macabra Mansão.

The Mansion of Hidden Souls - Mansion

Do Sega CD diretamente para o Sega Saturn

Todos sabemos que o lançamento do Sega Saturn nos Estados Unidos foi uma bagunça sem precedente, fazendo até mesmo um gênio como Tom Kalinake parecer em executivo de banco imobiliário. The Mansion of Hidden Souls no Saturn é reflexo dessa bagunça que era a SEGA da América, muito por causa da SEGA do Japão, devemos ressaltar.

O game que estamos avaliando aqui é praticamente o mesmo título lançado anteriormente no Sega CD. A única diferença que podemos exaltar é que a equipe da Sega of América que localizou o jogo nos Estados Unidos, achou por bem adicionar um ‘The’ para a sequência. Como estávamos na década de 1990 e a Internet ainda é gatinha a, com certeza a SEGA apostou na desinformação, entretanto a mancada não passou desapercebida na mídia especializada, mas como todos já estavam acostumados com decisões equivocadas da Sega do Japão, o projeto seguiu em frente.

Como um game lançado para o Sega CD em 1993, o game fazia uso do que de mais moderno havia naquele momento. Além do som digital proporcionado pelo CD, o game fazia uso do FMV {Full Motion Vídeo). O game é todo em primeira pessoa, sendo renderizado em 3D, lembrando bastante o clássico D.

A versão de Sega CD do game trazia gráficos naturalmente piores que o do Saturn.

A versão de Saturn trás algumas mudanças com relação a versão de Sega CD. Confesso que só fui perceber isso a poucos anos quando revisitei o jogo e procurei informações sobre o título. As mudanças são pequenas mais existem, então vamos falar delas.

O “The” que não faz toda Diferença

Como dissemos anteriormente, The Mansion of Hidden Souls é praticamente o mesmo jogo do Sega CD, entretanto ele tem algumas pequenas diferenças em relação ao título original. Essas diferenças, ao meu ver são apenas para tentar criar uma diferença entre os jogos, e não visando melhorar o jogo em si.

Ademais, ambos os games se passam na Mansão, em um tempo e lugar indeterminado, habitado por humanos que por algum motivo se tornaram borboletas. Entretanto agora com cabeças transparentes e falantes, aue tentam dar um ar ainda mais sobrenatural ao game. Esses aspectos são novos e não tem nenhuma conexão com o primeiro game, apesar da história ainda ser a mesma. The Mansion of Hidden Souls apresenta um novo conjunto de personagens que se comparados ao game original, geram um conflito descabido.

Game tenta criar um clima amedrontador.

O game é totalmente investigarivo e você vai ficar entrando e saindo dos ambientes interagindo tanto com os residentes da mansão quanto com os itens de cada ambiente. Confesso que as coisas não são nada divertidas, ao menos não agora, e eu me enchi muito rápido do game e das mecânicas muito lentas.

O que anteriormente era o mais legal do game, se tornou seu maior problema. As mecânicas do FMV envelheceram muito mal e deixam o game extremamente cansativo. A falta de ação devido ao estilo do jogo, aliado a ter de ficar procurando itens, torna tudo muito lento. Além disso, em muitos momentos você vai ter de olhar com muita atenção para encontrar o que você precisa.

Ademais, junte a isso o fato de não saber exatamente aonde ir. O game não tem mapa ou qualquer indicação de aonde você deve ir, fica tudo nas suas mãos e isso pode ser bastante frustrante, principalmente para os jogadores mais casuais que buscam uma experiência não tão complicada.

Game não tem diálogos escritos, todas as conversas são por áudio, em inglês claro.

Falando em dificuldade, agora vou entrar na questão que pode fazer você sequer cogitar chegar perto de The Mansion of Hidden Souls. O game basicamente é estruturado em diálogos, entretanto o jogo não tem textos, todos os diálogos são falados!. Exatamente meus amigos, não há textos no game, portanto prepare seus ouvidos, e tenha um inglês mediano para conseguir ir adiante no game sem maiores problemas.

Vale ressaltar que os diálogos também não podem ser pulados, sendo assim, além de serem pouco interessantes, apresentar pkh as dicas sobre o que fazer no jogo e serem em Inglês e apenas em áudio, eles não pode ser pulados ou sequer adiantados. Infelizmente uma experiência bem desinteressante para maioria dos gamers atualmente, entretanto lembre-se, o ano é 1997 e estamos jogando no problemático Sega Saturn.

Confira abaixo a gameplay completa postada no canal World of Longplays:

The Mansion of Hidden Souls – Vale a pena?

Aqui o bicho pega, pois é bem complicado de recomendar um game com uma experiência tão datada e particular como essa. Dificilmente alguém conhece esse game, eu mesmo só o conheci por estar em uma prateleira de locadora aonde as opções eram poucas e eu já tinha alugado quase tudo.

De qualquer forma, The Mansion of Hidden Souls foi e sempre será um game de nicho. Se você quer saber como era jogar vídeo game na década de 90 no Sega Saturn, ou assim como eu joga vídeo game a mais de 30 anos, pode ser que você goste do jogo.

Para os demais, antes de sequer colocar o game em um Retroarch da vida, recomendo precaução e que você assista algum vídeo, pois a experiência pode no ser boa e marcar você negativamente com relação aos jogos do gênero.

Espero que tenham gostado de mais essa review das antigas, pessoalmente adoro escrever sobre os games do meu passado, sendo assim, comentem sobre os jogos que marcaram vocês, quem sabe não temos algum game das antigas em comum.

Não deixe de conferir nossas outras reviews aqui no Games Ever!

The Mansion of Hidden Souls

Gráficos - 65%
Jogabilidade - 55%
Diversão - 65%
Som - 60%
Dificuldade - 75%
Fator Replay - 60%

63%

De qualquer forma, The Mansion of Hidden Souls foi e sempre será um game de nicho. Se você quer saber como era jogar vídeo game na década de 90 no Sega Saturn, ou assim como eu joga vídeo game a mais de 30 anos, pode ser que você goste do jogo.

User Rating: No Ratings Yet !
Clássico do PS1 com troféus A principais notícias do dia 15 de maio