Connect with us

Destaque

Hell Pages | REVIEW

Published

on

As portas do inferno foram abertas e todos os piores tipos de demônios invadiram a Terra. Durante anos, os seres das profundezas escravizaram, torturaram e mataram os humanos apenas por diversão. Bael, cansado de ver toda essa desordem, resolve emergir entre os demônios mais poderosos e reclamar o trono da terra para si, mas isso não será fácil pois outros 10 demônios poderosos não irão deixar que Bael consiga esse objetivo.

Jogo: Hell Pages
Desenvolvedora: Medusa Head
Publicadora: Eastasiasoft
Lançamento: 15 de julho de 2022
Número de Jogadores: Single Player
Gênero: Shmup
Plataformas: Switch

O mundo está uma zona!

Hell Pages é um Shmup no melhor estilo clássico como Gradius ou R-Type, sendo que começamos pelo lado esquerdo da tela e os inimigos vem pelo lado direito. O primeiro aspecto que mais chama a atenção no jogo é o seu estilo gráfico que remete à HQ’s do tipo Constantine, Conan entre outros que são mais “dark”.

Aqui em Hell Pages os demônios possuem um aspecto grotesco e profano igualmente citado na bíblia cristã, ou seja, existe muito sangue, monstros dentuços e quase pelados, demonias (sei lá como se fala isso… demônios femininos talvez?) com as peitolas de fora, imagens perturbadoras de pessoas empaladas… bem, se você jogou Dante’s Inferno vai entender como é o ambiente.

Bael, o grande demônio do inferno precisa passar por 10 fases enfrentando exércitos de demônios e no final de cada uma delas, enfrenta um Boss, que seria um dos chefões do inferno que assim como Bael, deseja o controle total da Terra. Para isso, Bael terá que passar por cavernas, desertos, parques de diversão e outros para dizimar cada opositor e conquistar o seu maior objetivo.

Cada fase conta com inimigos variados e de acordo com o local na qual você está. No deserto, temos inimigos com uma espécie de carruagem voadora, no parque de diversão, aparecem vários palhaços em aviões soltando bombas na gente e por ai vai, é a maior viagem.

Jogabilidade fluida, porém…

Não tenho como negar, a jogabilidade em Hell Pages é bastante fluida e gostosa de jogar. Bael voa pela tela com uma fluidez incrível e é “fácil” de esquivar dos inimigos vindos pela tela. Mas não se engane, a chuva de balas pela tela é tamanha, que nem a jogabilidade fluida lhe salvará de tomar dano ou até mesmo morrer. E não vá achando que jogando no “easy” deixará as coisas mais fáceis porque não vão! Sendo assim, pratique um pouco e memorize cada canto para evitar surpresas.

porém um ponto na qual eu deva ressaltar em Hell Pages: Você precisará de dinheiro para conseguir pelo menos ter uma chance de avançar no game. Explicando melhor, ao matar os inimigos pela tela, eles droppam moedas, que dependendo do inimigo e sua dificuldade, podem ser moedas de prata ou de ouro. Cada qual com o seu valor. Ao término da fase, vamos para um local na qual existe uma Súcubos (uma bela demônio feminina), que nos vende melhorias para Bael, como melhores tiros, ou recarrega nosso HP, podemos também comprar “continues” com ela ou até mesmo uma vida extra. Isso dá ao game um nível de estratégia enorme, pois se chegarmos na próxima fase com o HP pequeno, é certeza que não passaremos do Boss. Claro que no meio da fase aparecem um item que recarrega o HP, mas ele aparece só uma vez, no meio da fase e com tanta chuva de bala pela tela, chegar até o item com a vida baixa é pedir para ter um game over. No mais, caso tenha acumulado muita grana, você pode “comprar” uma note com a Súcubos e ver um JPG dela de Topless.

Conteúdo pesado e clima desconfortante

Hell Pages é um game com conteúdo bem pesado, assim como qualquer game que tem como temática a ambientação infernal. O estúdio brasileiro Medusa Head não economizou no sangue, desmembramentos e citações eróticas. Graficamente é um game bem feito, mas para mim, as animações e construções dos cenários parecem que foram feitos no Photo Shop e depois animados. Não são feios, porém para mim ficaram estranhos e me fizeram lembrar de jogos em Java para celulares de meados dos anos 2000, típicos jogos para Motorola C650 (quem teve vai se lembrar), passando longe do aspecto de um game para console, mesmo hoje em dia na qual games em Pixal Art e formatos retrô estejam tão em alta.

Agora a parte sonora é muito boa com efeitos bem variados para os tiros e os inimigos, além das músicas serem de um rock metal muito satisfatório.

Hell Pages vale a pena?

Sendo sincero, o game é divertido e desafiador e exigirá do jogador certa habilidade e paciência para passar certas fases. O esquema de ter de juntar grana para comprar melhorias, itens de recarga de HP e pagar para salvar o game são mecânicas que não serão apreciadas por todos, mas com certeza obriga o jogador à gastar a sua grana com mais consciência. O clima demoníaco também agrega muito para a diversão, mas somente para quem curte temas assim. Caso contrario, você achará a quantidade de sangue, violência e sugestões erótica muito desnecessárias.. Lembrando que esse game não é recomendado para crianças pelo seu alto teor de conteúdo inapropriado para elas.

Os gráficos são meio estranhos, mas isso é questão de gosto e costume, já as músicas são muito boas e bem empolgantes.

Hell Pages vale à pena por ser divertido e barato, mas pegue-o somente se você curte temas sombrios, repletos de sangue e monstros.

Gráficos - 40%
Jogabilidade - 70%
Diversão - 70%
Som - 75%
Dificuldade - 70%
Fator Replay - 50%

63%

Hell Pages é um Shmup interessante e desafiador, que mesmo nos níveis mais baixos, farão você arrancar os cabelos de raiva. O conteúdo é pesado, com sangues e nudez parcial e não é indicado para crianças.

User Rating: 2.45 ( 1 votes)

Apenas um gamer veterano que só quer saber de jogar qualquer game em qualquer console, pois vídeo game é tudo de bom!

Continue Reading
Comments

Destaques

Todos os direitos reservados | Games Ever 2018 - 2022