O Playstation 5 e Xbox Serie X|S já estão no mercado à quase 2 anos e ainda surgem muitas dúvidas se vale à pena adquirir um desses consoles, em especial o Xbox Serie S por ser mais barato e também mais “fraco” do que os outros dois consoles, PS5 e Xbox Series X.

Caros amigos, devo admitir que para esse artigo, eu demorei cerca de 2 meses pesquisando, jogando, testando, escrevendo, apagando e refazendo tudo do zero para que pudesse trazer algo de qualidade e completamente imparcial. Mas vamos lá: vamos partir para o que realmente interessa. Vamos voltar um pouco no tempo, na época em que Sony e Microsoft anunciaram os seus consoles de nova geração. O Playstation 5 seria lançado em duas versões diferentes: uma com leitor de disco físico e o outro sem entradas para discos, rodando jogos apenas de forma digital. O Xbox também teria duas versões: O Xbox Series X, que teria entrada para discos e o Xbox Series S, que rodaria games digitalmente, mas com um diferencial: ele seria inferior tecnicamente falando referente ao PS5 e principalmente ao seu irmão Xbox Series X.

Logo de imediato, surgiram dúvidas sobre a proposta da Microsoft em trazer dois consoles na qual existiam diferenças técnicas entre eles e que possivelmente o console mais “fraco” poderia atrasar as produtoras em criar seus jogos para os consoles mais capacitados. Jogadores, analistas e os tais “jornalistas gamers” começaram à criticar a proposta da Microsoft de que o Xbox Serie S seria um console que não aguentaria até o final da geração. Agora “cá” entre nós, a Microsoft não é uma empresa que joga para perder e com toda certeza ela aprende com seus erros passados e mais importante: ela gosta de dinheiro!

Há alguns anos atrás, quando o Xbox One foi anunciado, foi revelado que o aparelho deveria de ficar conectado à internet o tempo todo, pois dessa forma, o console seria verificado periodicamente para evitar pirataria e outras formas de burlar os sistemas do console. Quando indagada por um jornalista que “nem todas as pessoas do mundo possuem internet de qualidade para ficarem conectadas na rede”, a resposta da MS foi Nós temos um console que não precisa ficar conectado frequentemente a internet e ele se chama ‘Xbox 360’. É claro que essa resposta não caiu nada bem e por causa disso o Xbox One foi rejeitado por muitos gamers mundo à fora, gamers esses que optaram pelo PS4, já que o mesmo se mostrava muito mais “aberto” aos jogadores do que o Xbox One. Mas dessa infeliz declaração, coisas boas vieram, como Phill Spencer que encabeçou a divisão de games da MS e com ele, várias coisas boas vieram para o console como a retrocompatibilidade em Xbox Classic, Xbox 360 para o XBO, além do GamePass que é um dos melhores serviços já criado para um vídeo game.

Sabendo que seus consoles ficariam acima do valor médio para o consumidor e infelizmente com a chegada da pandemia, a Microsoft lançou dois consoles numa mesma geração: o Xbox Series X, como dito antes, é um console feito para quem quer desfrutar da mais alta tecnologia disponível no mercado. É um console para TV’s de 4K ou 8K, Ray Tracing, iluminação dinâmica, efeitos variados de partículas, 120fps e com SSD de alta performance para carregamentos quase que instantâneos. Tanto o XB X, quanto as duas versões do PS5 são extremamente poderosos e por que não, consoles de luxo. Sabendo que seus componentes seriam de alto padrão, atrelado à falta de matéria prima e mão de obra, graças a pandemia, a MS sabia que seu console e o da concorrente seriam aparelhos caros, consoles de alto custo que nem todo mundo teria condições de comprá-los.

Sendo assim ela criou o Xbox Serie S, um console que seria poderoso à sua maneira, que pudesse rodar todos os jogos novos que seriam lançados do inicio até o fim da geração e que pudesse ter um valor mais “acessível” para a maioria das pessoas. Posso dizer que essa estratégia da Microsoft em fazer um console de “entrada” de geração se saiu muito assertivo pois tanto PS5 quanto XB X tiveram e ainda estão tendo problemas em suas fabricações e na disponibilidade dos mesmos para as lojas e para os consumidores. Já o XB S está vendendo muito bem por ter peças no mercado na qual ele possa ser montado, além de seu preço que, mesmo custando em média R$ 2,500.00 é mais em conta do que o exorbitante valor de 4,500.00 do PS5 e XB X.

Mas calma, vamos entender antes de mais nada o que o Xbox Serie S tem à oferecer e quais são os problemas dele. Logo de cara a sua “Dash board” é praticamente a mesma do Xbox One, o que serve também para o Xbox Serie X. O diferencial é que ele não tem a opção de rodar o disco de jogos, então caso tenha algum game em disco instalado no seu Xbox One, após conectar a sua conta no XB S, ele irá mostrar o game na Dash, mas se tentar iniciá-lo ele pedirá para adquiri-lo na MS Store. Além disso, nas opções é possível escolher com “papel de parede animado” você quer deixar como plano de fundo. Algo que não existia no Xbox One base e foi introduzida no Xbox One X. Ok, tudo isso é perfumaria, o que interessa mesmo são os jogos. Joguei alguns games de Xbox Classic no XB S e pude perceber que eles rodam mais rápido e um pouquinho mais bonitos. Ninja Gaiden Black ficou com loads mais rápidos e a imagem na tela ficou mais bonita, com cores mais vibrantes e vividas. Star Wars: KOTOR também ficou levemente mais bonito e com loads bem rápidos.

Dead or Alive 3 eu sinceramente não senti nenhuma diferença rodando no Xbox Classic e no Xbox Serie S, sendo que em ambos os consoles, o game roda da mesma forma. Também rodei 3 jogos de Xbox 360 no XB S. Alan Wake eu senti que a taxa de quadros aumentou, deixando o game mais fluido. Forza Horizon também teve a taxa de quadros aumentado e The King of Fighter XIII ficou com loads quase instantâneos. Já games do Xbox One Percebi que Dark Souls Remastered ficou muito melhor do que no XBO. A taxa de quadros ficou em 60fps e os gráficos ficaram melhores do que no XBO. The Witcher 3 também ficou com 60fps cravados e uma pequena melhora gráfica e por ultimo Final Fantasy XV que além dos 60fps, também teve uma melhora gráfica enorme ficando muito mais bonito do que a versão de PS4 Pro.

Por fim pude testar 3 games no Xbox Series S que me deixaram de boca aberta. O primeiro foi Gears 5, que é um game feito para o Xbox One, mas que teve uma atualização que melhorava a performance do game no XB S e X. Gears 5 está lindo no XB S, iluminação dinâmica, efeitos de partículas, 60fps cravados e loads praticamente inexistentes. Eu havia terminado esse game no XBO e posso dizer que, no XB S ele está totalmente melhor.

Forza Horizon 5 foi o segundo game que pude testar e aqui o caldo engrossa. Podemos escolher nas opções entre modo Desempenho e modo Qualidade: No primeiro o jogo fica com 60fps cravados, deixando o game extremamente suave e gostoso de se jogar, mas a qualidade gráfica fica um pouco melhor do que é visto no Xbox One X. Já o modo Qualidade deixa o game à 30fps cravados, mas dá um salto gráfico absurdo. É possível ver vários detalhes nos carros, como sombras dinâmicas, Ray tracing, mais elementos na tela, objetos nos cenários que não aparecem no modo Desempenho. Por ultimo testei Halo Infinity e, assim como Forza Horizon 5, no desempenho o game fica com 60fps cravados, enquanto no qualidade o game fica com uma melhora gráfica absurda rodando à 30fps.

O caso é que nem todas as empresas são como a Microsft que consegue extrair o melhor do Xbox Serie S, e isso anda se tornando um grande problema. Falar que o XB S não aguenta permanecer na luta até o final da geração é uma tremenda besteira, tanto que o console pode ser sim inferior ao XB Xe o PS5, mas ele compensa essa inferioridade de outras formas, como diminuir a taxa de quadros para melhorar os gráficos, ou o inverso. Mas algumas empresas preguiçosas estão criando jogos de qualquer jeito para o XB S e deixando o console com a fama de aparelho ultrapassado.

Veja bem, os vídeo games de hoje em dia nada mais são como computadores em um case personalidade pela sua produtora. Xbox Serie X e PS5 nada mais são do que dois consoles que rodam game na performance Ultra, como um PC game bem parrudo. Já o Xbox Serie S é um console que pode rodar os game na performance Alta, assim como um PC gamer ou um PC mais modesto rodaria. A matemática é fácil, é só criar os games para rodarem no ultra nos consoles mais poderosos e colocar o game para rodar de forma mais modesta no XB S. Mas o que vemos é que mais e mais empresas lançam seus games no XB X e PS5 de forma que o game possa chegar até a 120fps e no XB S o game oscila entre 54 à 60fps. Como dito antes, o XB S consegue rodar tudo o PS5 roda, mas de uma forma mais modesta.

Enquanto o PS5 explode Ray Tracing na tela, com luz dinâmica e partículas para todos os lados, o XB S também pode fazer isso, mas com menos efeitos na tela. Está lá e você pode ver que está, mas com uma diminuição desses efeitos. O jogo continuará bonito, muito melhor se estivesse rodando em um XBO ou PS4, mas tendo efeitos mais suavizados do que no PS5 por exemplo. Algo que posso citar aqui é o excelente trabalho que a CD Projekt Red fez na atualização de Cyberpunk 2077 de XBO rodando no XB S. O game pode rodar em até 120fps, Ray Tracing ativado, partículas, luz dinâmica, 4K e tudo o que os outros dois consoles parrudos podem fazer, mas claro, você deverá escolher entre performance ou qualidade, da mesma forma que usuário de XB X e PS5 precisão fazer também, mas no XB S o jogo fica lindo e cala a boca de muita gente que diz que o console não é capaz.

Por fim devo dizer que o aparelho é muito bom, ele é pequeno, não tem fonte externa como o XBO e o X360, algo que atrapalhava e muito na hora de escolher um lugar para o console ficar, ele é extremante silencioso e combina com qualquer ambiente. Em questão de performance, o console consegue se sair muito bem rodando games das 3 gerações anteriores e também roda muito bem jogos da atual geração, mas, dependo da produtora você terá uma experiência prejudicada graças a preguiça da mesma. Algumas lançam uma atualização dias depois do lançamento para que o game rode melhor no XB S, mas nem todas fazem esse trabalho e isso pode se tornar um problema à longo prazo. A culpa não é do aparelho e sim de algumas empresas. O console tem poder o bastante para chegar lindo e belo até o fim da geração ou ir até além, mas vai depender das third party fazerem a parte delas.

Por mais que o console possa custar salgados R$2,500.00 em média, ainda sim é um excelente aparelho que irá suprir a necessidade de qualquer gamer que deseja jogar games mais antigos e futuros lançamentos com extrema qualidade. A Microsoft acertou à mão ao lançar um console mais em conta para um público que não quer/não pode gastar muito, mas que também não ficar de fora dos próximos lançamentos em jogos. Se formos contar com o excelente catálogo de jogos do Gamepass, uma pessoa que adquire um Xbox Serie S hoje, além de levar um console de nova geração, ainda terá muitos jogos pra jogar por um bom tempo.

Muitos jogos que estão sendo lançados já estão rodando super bem no XB S, como Elden Ring, que roda excelentemente bem tanto no modo performance quanto no modo desempenho e mais e mais empresas estão lançando jogos magníficos para o XB S, mas infelizmente ainda tem uma ou outra produtora preguiçosa que lança o game de qualquer jeito e depois de muita reclamação dos gamers, lança um patch pra melhorar o game. Ainda assim, é preocupante que empresas não deem a devia atenção para o console. Se a MS não impor para certas empresas que elas trabalhem com mais afinco e tragam jogos de qualidade para o console, poderemos ver games que não usem nem um terço das capacidades dele.

Gameplay de Gears 5 rodando diretamente do Xbox Series S

Pelo valor oficial do Xbox Serie S, vale muito mais à pena adquirir esse console, do que um Nintendo Switch que está variavelmente no mesmo valor e você ainda terá de pagar mais de R$200,00 para jogar games de N64, Mega, Snes e Nes

Clássico do PS1 com troféus A principais notícias do dia 15 de maio