Connect with us

Destaque

REVIEW | Dead Space – Primeiro game da franquia é referência no gênero

Published

on

Dead Space completou no último dia 14 de outubro, 13 anos de existência. O game de sobrevivência e horror foi desenvolvido pela EA Redwood Shores e lançado pela EA em 14 de outubro de 2008.

O game foi lançado para Xbox 360, PlayStation 3 e PC, se tornando um sucesso e entrando para o Hall da fama dos games de troir e suspense. Após 3 lançamentos, a franquia se enfraqueceu, ficando esquecida nos porões da EA.

Entretanto, após anos aguardando a franquia ressurge com o anúncio de um remake, e com isso lembramos o quanto Dead Space ainda é um game atual. Confira abaixo o que faz de Dead Space um jogo incrível até os dias de hoje.

  • Jogo: Dead Space
  • Desenvolvedora: Visceral Games
  • Publisher: EA
  • Lançamento: 14 de Outubro 2008
  • Número de Jogadores: Single Player
  • Gênero: Survival Horror
  • Plataformas: PlayStation 3, Xbox 360, PC

Uma história de terror e ficção

Desde os primeiros anúncios de desenvolvedores de Dead Space, sua história sempre esteve em destaque. O game trouxe um enrredo de ficção, religiao e horro como os melhores games do gênero ( Alien, eu estou falando de você)

Tudo começa em 2507, quando a Terra foi devastada pela exploração humana. A busca incessante por novos recursos energéticos fez com que o planeta se tornasse cada vez mais inabitável. Com iss população diminuiu drasticamente e agora aposta em viagens espaciais para conseguir outros meios de garantir a sobrevivência, quem assistiu Alien 8° passageiro já sabe bem no que isso resulta.

A empresa Concordance Extraction Corporation (CEC), construiu a USG Ishimura, uma super-nave especialista em explorar e encontrar novos recursos em outros planetas da galáxia. As missões dão certo e a humanidade começa a voltar ao trilhos. A Ishimura consegue chegar a 34 novos locais e devolve a esperança aos humanos.

Entretanto nada é perfeito e os problemas começam a acontecer exatamente na 35º missão, destinada a explorar o planeta Aegis VII. Um chamado de emergência é enviado para a CEC, que imediatamente envia USG Kellion para averiguar o que ocorreu com a nave e a colônia instalada no sistema. A bordo do resgate está nosso protagonista da série, o engenheiro Isaac Clarke, que além de cumprir seu dever profissional, vai de encontro a sua namorada Nicole Brennan, médica da Ishimura.

Ao atracar na Ishimura novos problemas acontecem. A Kellion sofre uma forte colisão que, apesar de não ferir nenhum tripulante, a deixa sem condições. Clarke e toda a tripulação entram na Ishimura, diretamente para a sala de relatórios, onde possivelmente encontrarão os motivos pelo qual a nave está parada. Já no caminho, eles percebem que o veículo está completamente abandonado, com compartimentos destruídos, marcas de sangue nas paredes e gravações confusas espalhadas pelos decks, evidenciando que algo está muito errado na nave.

Ao chegar na sala de relatórios, o engenheiro fica preso em uma parte do local e vê o restante da tripulação ser atacado por criaturas bizarras que logo partem em sua direção. Na fuga, Clarke consegue se armar e descobre que somente duas pessoas de sua tripulação sobraram: a cientista Kendra Daniels e o coordenador de segurança Zach Hammond.

Partindo desse momento, você deve encontrar sua namorada, uma maneira de sair desse inferno, salvando os sobreviventes sem que você mesmo morra.

USG Ishimura
USG Ishimura em sua plenitude.

Desenvolvimento

Dead Space foi anunciado pela EA em setembro de 2007. O jogo foi desenvolvido nos estúdios da Redwood Shores. O estúdio tinha no currículo games como The Godfather e The Simpsons Game.

As primeiras informações do game diziam que ele seria um game de duração continua. Ou seja, você não poderia pausar o game, recurso que até então não se tinha visto em um game do gênero. Entretanto isso não se mostrou realmente verdade.

O produtor executivo do jogo Glen Schofield, disse na ocasião que a equipe teve como objetivo fazer um jogo mais ‘sombrio e assustador’ que seus títulos anteriores:

Todos nós somos fãs do gênero horror e ficção científica; nós queríamos criar o jogo mais aterrorizante que podíamos, e manter o jogador grudado na cadeira o tempo todo.

Já a equipe de design passou um bom tempo analisando uma grande variedade de filmes de horror para achar inspiração. No decorrer do desenvolvimento, a mídia especializada deu grande ênfase a possibilidade de desmembramento.

Ademais, Schofield enfatizou o desenvolvimento como o tema principal de Dead Space. Os Necromorphs não são finalizados  com apenas um único tiro, e sim precisam ser incapacitados ao cortar seus membros, só assim eles morrem.

Uma série de diários do desenvolvedor foram lançados para o jogo e apresentaram um episódio sobre o sistema de desmembramento em que os desenvolvedores mencionam que usar a tática convencional, como atirar na cabeça ou torso serviria apenas para agravar alguns dos Necromorphs. Ao atirar nessas partes os inimigos poderiam se recuperar e ficar mais agressivos.

Por fim, para deixar os corpos mais realistas, a equipe de desenvolvimento estudou fotos de vítimas reais de acidentes de carro.

Necromorphs
Necromorphs

Gráficos – Um show nas sombras

Olhando os trabalhos anteriores da EA, podemos dizer que Dead Space é um game inesperado em todos os sentidos. O game chegou em um momento formidável, e se tornou único naquilo que se propunha.

Dead Space apresenta uma uma atmosfera absolutamente envolvente, com uma história recheada de misticismo que resulta de uma interação mais particular e adulta. O tema de ficção é horror já havia sido explorado, mas não na dimensão que Dead Space trouxe ao jogador.

Com ótimos efeitos visuais e gráficos extremamente bem trabalhados, o jogador já sente a ameaça nos primeiros minutos de jogo. A câmera por cima dos ombros foi uma ótima escolha, e deixa o jogador bem a vontade para lidar com todas as situações do game.

Ambientes sombrios, sombras a todo momento e principalmente o silêncio proporcionam um clima de desolação e solidão ímpares. Os inimigos espreitam dentro de compartimentos, armários e frutos de ventilação. O jogo tem ótimos efeitos de luzes, aonde o jogador fica envolto em ambientes semi iluminados e claustrofobicos.

O traje de Isaac é um show aparte, com sua energia sendo mostrada em sua espinha dorsal, com um efeito de luz bem interessante. Ademais, você pode interagir com alguns objetos do cenário, podendo esmurrar para quebrar alguns desses objetos.

Nós momentos que estamos fora da nave, além dos detalhes espaciais como satélites, estrelas e escombros, temos a força gravitacional que está bem realista. Um show de detalhes e esmero da equipe de desenvolvimento.

O game roda a 30fps cravados tanto no PlayStation 3 quanto no Xbox 360. Texturas e sombras estão um pouco melhores no Xbox 360, mas como sabemos isso acontece em quase todos os jogos multi-plataforma, devido a dificuldade de se programar para o console da Sony. Entretanto isso de forma alguma é visto pelo jogador comum ou atrapalha a experiência.

Jogabilidade e Recursos

Dead Space também chegou com algumas novidades tanto no que se diz respeito à jogabilidade quanto a recursos. O jogo conseguiu ir além do que havia sido apresentado em jogos como Resident Evil e Aline in the Dark.

Algo que você vai reparar logo no início, é que o game no tem interesse que você fique perdido. Ao pressionar determinado botao, irá aparecer uma indicação mostrando aonde você deve ir exatamente. Isso torna o game mais dinâmico, e por mais que você no goste, o recurso ajuda muito e você vai usar com frequência.

Ao atirar em um inimigo e derrubá-lo, você vai ter a opção de desmembrar pisando nele ou atirando a distância. Isso pode ser uma boa estratégia para economizar munição por exemplo. Você pode agredir os inimigos tanto com socos ou chutes, caso estejam caídos.

Você vai contar com diversos trajes e armas que são adquiridos durante o jogo. Ambos podem ser customizados, caso você tenha os itens necessários para tal. No caso dos trajes, eles podem ter especialidades diferentes, sendo mais resistentes, leves ou com mais espaços para carregar itens.

Ademais, essas customizaçoes só podem ser feitas em locais específicos, o que torna o game ainda mais estratégico. Todas essas evoluções foram um passo a frente no gênero Survival Horror, que ainda estava preso às mecânicas de Resident Evil, por exemplo.

Apaixonado por jogos e consoles desde 1990. Quando não esta escrevendo em algum site de games, esta jogando ou ensinando o Felipe a jogar.

Continue Reading
Comments

Destaques

Todos os direitos reservados | Games Ever 2018 - 2022