O gênero musical Heavy Metal possui milhões de fãs apaixonados ao redor do mundo, e diversos jogos já exploraram essa paixão com muita música, como por exemplo o game Metal Tales: Fury of the Guitar Gods, lançado lá em 2016. E a continuação da série vem agora com Metal Tales: Overkill, um jogo de Ação Dungeon Crawler com muitos metaleiros, guitarras, amplificadores e muita música.

  • Jogo: Metal Tales Overkill
  • Desenvolvedora: Zero Uno Games
  • Publicadora: Zero Uno Games
  • Lançamento: 21 de abril de 2022
  • Número de Jogadores: Single player / Multiplayer Cooperativo para 2 Jogadores
  • Gênero: Dungeon Crawler Action
  • Plataformas: PS4, PS5, XONE, XSXS, SW, PC
  • Site Oficial: Aqui

Apresentação

A Zero Uno Games, desenvolvedora e publicadora de sucessos recentes no mercado independente como o RPG Astria Ascending, volta a publicar seu mais recente game: Metal Tales: Overkill. Uma carta aberta de amor ao gênero musical Heavy Metal em forma de jogo de videogame, o jogo aposta no gênero Dungeon Crawler para trazer ação desenfreada ao jogador, ao som de muita música. Será que essa combinação deu certo? É o que veremos no decorrer da nossa análise!

Metal Tale: Overkill Logo

Deus Metal

O enredo do game não poderia ser mais simples. O poderoso Deus Metal tomou conta de todos os maiores metaleiros do mundo. Transformados em monstros demoníacos, os membros de bandas de Heavy Metal começaram a hipnotizar seus ouvintes com suas músicas, e assim criaram uma legião de zumbis demônios. E agora, quem pode nos salvar?

De início, há dois personagens que podemos escolher: Axel e Eve, cada um com algumas características únicas. Há mais dois personagens que serão liberados quando avançar no game: Manny Rodrigues e Allison. Há uma boa diferença entre os personagens tanto em atributos (uns causam mais dano e outros possuem mais vida) quando em itens iniciais (uns começam com chaves outros com mais bombas, por exemplo). Variar entre os personagens é interessante para saber qual faz mais seu estilo.

Dungeon Crawler Legítimo

O game é dividido em salas, como todo Dungeon Crawler. O jogador avança de sala em sala, e frequentemente é recepcionado por uma série de inimigos. Após limpar a sala de inimigos, ele pode escolher em qual direção seguir para sua próxima sala. Há um mapa no canto superior direito, e o jogador às vezes consegue ter uma ideia de qual sala ele verá ao atravessar a porta. Outras vezes, será um mistério e ele terá de entrar para descobrir. É possível voltar e explorar inteiramente a fase a qualquer momento.

Além de inimigos, as salas possuem objetos destrutíveis que rendem itens. Os itens mais básicos que podemos encontrar são dinheiro, bombas, chaves que abrem baús de tesouro e itens de cura. Vale a pena explorar cada sala, destruindo os objetos destrutíveis, pois pode haver tesouros escondidos ali que serão muito úteis no progresso do seu personagem e podem tornar as áreas subsequentes mais fáceis. Vale mencionar que as bombas, apesar de poderem ser usadas contra inimigos, possuem a função de liberar algumas áreas destrutivas do cenário, então tenha sempre uma bomba com você.

Algumas salas são diferenciadas. As salas mais diferenciadas são as salas de desafio, em que vários oponentes aparecem em sequência com um tempo determinado para destruí-los, salas de tesouros, que apenas concedem um presente, salas de armadilha, em que terá de passar por uma série de armadilhas para conseguir chegar a um item poderoso, e as lojas, em que podemos usar as moedas adquiridas nas salas para comprar novos itens e poderes. A ideia é que o jogador tente se fortalecer o máximo possível explorando ao máximo cada fase antes de tentar encarar o chefe da fase.

Além disso, é preciso se atentar às fases, pois podem conter várias armadilhas, como lixo tóxico, fogo, lâminas ou explosivos. Preste atenção ao se locomover pelos cenários enquanto dispara energia do Metal em seus inimigos.

Metal Tales: Overkill Scenery

Acordes Destrutivos

Inicialmente, o jogador possui apenas um sistema básico de golpes, em que ele toca sua guitarra e disparar uma energia. O jogador pode escolher a direção da energia e pode tocar guitarra em movimento, o que será crucial para atacar os oponentes enquanto desvia de seus golpes.

Nós somos guitarristas, então as armas e upgrades que conseguimos são sempre itens musicais, certo? Conforme avançamos no jogo, conseguimos novas guitarras, amplificadores, pedais, e tudo o mais. Mas também conseguirá tomar energéticos que te deixam mais rápido, por exemplo.

Muitos desses itens são consumíveis. Um bom exemplo são os acordes, que possuem diversos efeitos. Acordes podem causar envenenamento, efeito de fogo, gelo, elétrico, entre outros. Só que esse efeito dura apenas uma única sala, então o melhor momento de usar um acorde especial é em uma sala cheia de inimigos, deixando aquela sala bem mais fácil. Não precisa ter “pena” de gastar um acorde especial no jogo, pois só pode carregar um por vez e encontrará muitos, além de geralmente poder comprar mais nas lojas. Gaste seus acordes especiais e destrua seus inimigos.

Inimigos do Metal

Mas afinal, que inimigos estará enfrentando? Bem, há vários tipos. Basicamente, seus inimigos são metaleiros que foram infectados pelo poder do Deus Metal e agora são meio demônios. Os inimigos mais básicos apenas correm em sua direção ou lançam projéteis fáceis de se desviar em você, mas conforme vai avançando para as fases mais adiantadas, encontrará novos inimigos poderosos. Alguns tentam pisar em você, outros lançam berros que alcançam uma linha do cenário toda. E depois aparecem os brutamontes esponjas de balas que vão dar trabalho até serem derrotados.

Ao final de cada fase, irá encarar um chefe de fase. Basicamente, é um inimigo complicado, com muita vida e golpes que atingem uma boa área do mapa, então é preciso ficar em constante movimento. Algumas vezes, o cenário parece um Bullet-Hell, em que temos de desviar de vários ataques vindo de múltiplas direções. Os chefes são o ponto alto do jogo, pois apresentam animações, várias fases e muitos ataques diferentes, dando um ar todo especial ao combate do jogo, exigindo estratégia e reflexo. Os chefes são difíceis e desafiadores na medida certa.

Ao derrotar os poderosos chefes, conseguimos grandes poderes, como invocações para usar em batalha. Essas invocações são muito poderosas, e devem ser guardadas para momentos oportunos. Cada invocação representa um poder, sendo que algumas causam um bom dano no cenário, outras te deixam invulnerável, e outras param o tempo. Invocações são muito úteis para conseguir causar um dano extra nos chefes chatos que irá encontrar mais adiante no game. E como elas só podem ser usadas uma única vez, vale a pena guardá-las para os momentos em que precisar mais.

O Rock Nunca Morre!

Avançando no jogo, irá morrer bastante. Como em todo Dungeon Crawler, a vida é limitada e os inimigos são muitos. Como tomar dano chega a ser quase impossível de ser evitado, saiba que irá morrer bastante. E sempre que morrer, voltará da fase um com nada do que tinha antes. E então terá de reiniciar desde o começo, pegando mais itens e guitarras passando pelos mesmos cenários.

Mas será sempre a mesma coisa? Depende. Repetição é, sim, a alma do Dungeon Crawler, repetir os mesmos cenários e chefes até dominá-los e então conseguir ir avançando cada vez mais longe até poder chegar ao final. Depois que completar diversas vezes as fases iniciais, começará a encontrar itens pelo cenário que servem como passaportes. Esses itens permitem a você “pular” as fases iniciais, colocando-o de volta nas fases mais avançadas que já descobriu. Pode ser uma boa ideia se estiver com pressa, mas saiba que pode chegar nas fases mais difíceis sem ter equipamento reforçado, por exemplo.

Além disso, o jogo possui objetivos que precisam ser alcançados. Esses objetivos são simples, e envolvem coisas como matar quantidade X de inimigos, explorar todo um cenário, completar um desafio, comprar itens na loja etc. Cada objetivo completado vale pentagramas, uma moeda vital do jogo que não se perde quando morre. Com essa moeda, o jogador pode comprar upgrades vitalícios para seu personagem.

Mas esse Jogo tem METAL?

Ô se tem! O músico original do game anterior, o espanhol Diego Teksuo, está de volta, com novas composições muito boas, e ainda está acompanhado de um time de peso do Heavy Metal, das mais variadas vertentes. Encontrará músicas no game das bandas suecas Despite, Hyperion e Through the Noise, as australianas A Breach of Silence e Naberus, a canadense Striker, as espanholas Hyde Abbey e Legacy of Brutality, a búlgara Nameless Day Ritual, as americanas Blacklist 9 e Sifting e as italianas Genus Ordinis Dei e Nereis. Tem Black Metal, Death Metal, Viking Metal, Thrash Metal, Progressive Metal, um pouco de tudo o que é metal.

A música no jogo nunca para, e é muito bom sair pelas fases destroçando inimigos e chefes ao som dessas músicas pesadas. A seleção é perfeita e as composições são sensacionais, trazendo um alto valor ao jogo, principalmente se for um fã do gênero. Caso goste das músicas das bandas e queira saber mais sobre elas, dentro do jogo há um menu de Extras contendo informações detalhadas sobre cada banda, inclusive contando com sites e endereços de vídeos e sites de streaming onde pode conhecer mais das suas bandas prediletas no game. Vale a pena conferir.

Metal Tales: Overkill – Vale a Pena?

Metal Tales: Overkill é uma excelente sequência para uma franquia apaixonada. De metaleiros para metaleiros, o amor pela música e por uma jogabilidade frenética pode ser percebido em cada fase. Recomendo o game para todos os fãs do gênero musical e também aos fãs dos jogos de ação Dungeon Crawler, pois o game se destaca entre os vários jogos do gênero.

Metal Tales: Overkill foi avaliado através de uma cópia gentilmente cedida pela Zero Uno Games – Agradecemos a cordialidade!

Confira também nossos outros reviews.

Metal Tales: Overkill

Gráficos - 75%
Jogabilidade - 80%
Diversão - 90%
Som - 100%
Dificuldade - 85%
Fator Replay - 90%

87%

etaleiros, o amor pela música e por uma jogabilidade frenética pode ser percebido em cada fase. Recomendo o game para todos os fãs do gênero musical e também aos fãs dos jogos de ação Dungeon Crawler, pois o game se destaca entre os vários jogos do gênero.

User Rating: No Ratings Yet !
Clássico do PS1 com troféus A principais notícias do dia 15 de maio