Continua após a publicidade..
Continua após a publicidade..
DestaquePCPlayStationReviewSwitch

Crymachina | REVIEW

Continua após a publicidade..

Crymachina é o mais novo RPG de ação da FURYU, desenvolvedora de Caligula Effect e Monark. Ambientado em um clima pós apocalíptico e obscuro, o jogo conta com uma seleção de beldades e muita ação frenética ao melhor estilo hack and slash.

  • Jogo: Crymachina
  • Desenvolvedora: FURYU Corporation
  • Publicadora: NIS America
  • Lançamento: 24 de outubro 2023
  • Número de Jogadores: 1
  • Gênero: Action-RPG
  • Plataformas: PS4, PS5, Switch e PC
  • Site Oficial: Aqui

Era das Máquinas

A história de Crymachina é ambientada em um futuro distópico e pós-apocalíptico. Uma terrível doença chamada Centrifugal System se espalhou pela humanidade em grande velocidade, e dizimou 20% da população. A humanidade entrou em colapso logo depois, e uma série de eventos e guerras acabou por levar à extinção de toda a humanidade. Restaram apenas algumas máquinas avançadas, em postos posicionados no espaço. Essas máquinas aprenderam a evoluir sozinhas, e logo se tornaram tão poderosas a ponto de se tornarem deuses. Conhecidos como Dei ex Machinas, essas máquinas ficaram totalmente fora de controle sem um humano para controlá-las. Por isso é preciso restabelecer a humanidade: apenas um humano poderá controlar as máquinas e encerrar o conflito.

Cada uma das 7 Dei ex Machinas possui um poder próprio. Entre esses poderes, está o controle e manutenção de Eden, um mundo virtual, e EVE, um sistema que permite às máquinas se tornarem cada vez mais “humanas”. Centenas de anos depois do fim da humanidade, foram criados androides usando memórias selecionadas entre o banco de dados de humanos do século 21. A protagonista da história se chama Leben Distel, uma jovem japonesa de 17 anos que morreu de Centrifugal System no século 21, e agora está “de volta à vida” na forma de um androide. Várias outras garotas adolescentes também foram trazidas à vida da mesma forma. Juntas, essas garotas precisam restaurar a humanidade e encerrar o conflito entre os Dei ex Machinas de uma vez por todas.

Crymachina possui estilo visual de anime, com uma atmosfera completamente futurista e sci-fi. Todos os personagens do jogo são garotas, sempre jovens e bonitas, mas nada realmente apelativo demais, como acaba acontecendo com alguns RPGs japoneses. As garotas dão um charme especial ao game, e claramente são o foco do público, uma vez que o jogo possui diversas opções de interação, permitindo conversar com as garotas e acompanhar cenas de envolvimento emocional entre elas. Apesar das personagens serem jovens adolescentes, a trama é densa e obscura. O jogo é repleto de mensagens e de momentos emocionantes, com muito papo cabeça e dúvidas sobre existencialismo. Enquanto as meninas lutam contra as poderosas máquinas inimigas, elas precisam refletir sobre o quê estão fazendo, e como voltarem a ser humanas. Afinal de contas, o que torna alguém humano? O que um androide precisa para ser uma pessoa? Essas dúvidas permeiam todo o desenvolvimento das várias personagens.

Corredores Lineares

Enquanto não estamos refletindo nas crises existencialistas, há um jogo a ser jogado. E Crymachina não decepciona em nenhum aspecto. O jogo é dividido em fases, que por sua vez são sempre simples e lineares, com pouco espaço para exploração. Como o jogo possui um pequeno mapa que sempre aponta a localização de equipamentos e itens importantes, não há muita necessidade de perder tempo explorando, até porque a maioria dos itens fica no caminho tradicional. Caso queira explorar, poderá encontrar equipamentos e dados que revelam mais detalhes sobre o universo do jogo e as personagens.

Também há uma função de disparar a arma especial com mira, no estilo Third-Person Shooter. Essa função pode ser usada em combate, mas é mais utilizada para resolver pequenos quebra-cabeças, acertando alvos escondidos nas fases que liberam fases secretas com inimigos de nível bem mais alto. Essas fases extras podem ser bem complicadas de se completar da primeira vez, sendo recomendo que volte futuramente quando estiver bem mais forte. É possível rejogar qualquer fase do jogo a qualquer momento, muito útil caso queira evoluir os personagens.

Combate Frenético

O jogo é quase todo voltado para a ação e o combate contra os inimigos. O combate do jogo é no melhor estilo hack and slash, com combos entre golpes rápidos e golpes mais lentos e poderosos, contra-ataques e ataques especiais. Nada que foge muito do padrão do gênero, sem querer reinventar nenhuma fórmula, mas com elementos interessantes de personificação. Os combos são bem simples, não sendo nada intrincado ou estratégico. Porém, não pense você que poderá ficar esmagando botões, pois se fizer isso não irá durar nem 15 segundos contra um chefe.

Há três personagens controláveis no jogo: Leben Distel, Mikoto Sengiku e Ami Shido. Cada uma delas possui armas e habilidades únicas, trazendo uma variação interessante ao combate. Basicamente, a diferença vai de ataques mais rápidos e outros mais lentos, e também na variação dos combos. Não é muita diferença, mas o jogador precisa saber jogar com cada personagem para usufruir de todas as suas vantagens e tomar cuidado com suas desvantagens. Caso queira jogar da mesma forma com as três personagens, terá sérios problemas. É preciso entender os pontos fortes e fracos de cada uma para saber qual equipamento usar e como configurar os ataques de modo eficiente.

Cada personagem possui um sistema automático de cura, que recupera a vida constantemente ao longo do tempo, mas em uma fração muito pequena. Não há itens consumíveis ou algo do tipo, porém os personagens possuem três habilidades especiais: Emergency Repair, Remote Assault e Awaken. Emergency Repair recupera a vida do personagem, Remote Assault causa um ataque em um único inimigo e Awaken deixa o personagem invulnerável e muito mais forte do que o normal por alguns segundos. São habilidades muito poderosas, mas limitadas, e o personagem só poderá usar cada uma poucas vezes na batalha. Essas habilidades podem ser fortalecidas usando pontos de Ego, tornando o personagem quase invencível.

A Prática Leva à Perfeição

Os poucos grupos de inimigos que aparecem durante a fase são apenas paliativos que tentam atrasar o jogador, e na maioria das vezes não apresentarão qualquer dificuldade, mesmo em grandes números. Isso porque eles morrem rápido e possuem poucos golpes, além de serem bem previsíveis. Basicamente, os inimigos comuns são apenas sacos de pancada. Sem dúvida, o ápice do jogo são as lutas contra chefes e grandes inimigos. Cada fase termina sempre com um poderoso chefão, em grau crescente de dificuldade. Cada chefe possui ataques únicos e especiais que o jogador precisará aprender a confrontar. Muitos chefes são apelões e possuem golpes devastadores que atingem todo o cenário, por exemplo. Decorar os movimentos do chefe é absolutamente necessário nesse jogo.

Como os chefes são fortes demais, basicamente, é preciso não ser atingido. Para isso, existem duas funções: desviar ou contra-atacar. Caso desvie do golpe no último segundo, ou contra-ataque no momento exato, causará um ataque surpresa no inimigo com força adicional. Além do maior poder, esse ataque especial causa dano de atordoamento. Tanto inimigos comuns como chefes possuem uma barra de atordoamento que, quando preenchidas, deixam o oponente imobilizado por alguns segundos. Além de tomar dano crítico, eles podem ser arremessados no ar. Uma vez no ar, podem ser arremessados de volta ao chão, permitindo assim um golpe de finalização extremamente poderoso.

Saber desviar dos golpes inimigos, contra-atacá-los com perfeição e atordoá-los é mais do que aconselhável: é estritamente necessário. Alguns chefes do jogo serão verdadeiros testes de reflexo, e se não dominar completamente o sistema de esquiva e contra-ataque, não terá vida longa. Atordoar oponentes será vital no decorrer do jogo, principalmente contra chefes apelões com muita vida. Conforme avança, os chefes se tornam ainda mais fortes, e começam a aparecer em duplas. Caso esteja tendo muita dificuldade, precisará praticar mais, tentar evoluir alguns níveis ou conseguir equipamento melhor. Em último caso, é possível ligar o Modo Casual, tornando as batalhas bem mais fáceis.

Foco na Evolução

Como foi dito, a progressão do jogo é por meio de fases. Ao final de cada fase, há uma espécie de ranking, que levará em consideração o tempo que se levou para concluir a fase e a quantidade de dano que recebeu. Apesar de não haver um sistema de nota que evidencia o quão bem ou mal foi, seu desempenho interfere na quantidade de ExP e Ego recebidos ao final da fase. Mesmo assim, não há uma grande pressão por conseguir completar fases da melhor maneira possível, que nem acontece em outros jogos do estilo. É possível rejogar qualquer fase quando quiser, para tentar ser melhor, caso queira, ou para vencer os chefes extras, apenas não é bem essencial.

Cada fase possui um nível recomendado, e estar no nível adequado para cada fase é imprescindível. Tentar derrotar um chefe 3 ou 4 níveis acima de você é um desafio bem grande, de modo que faz toda a diferença estar no nível certo. Como os pontos de ExP são compartilhados entre os personagens, mas não os níveis em si, então precisa se atentar para não gastar tudo com um personagem só e deixar os outros personagens enfraquecidos. Se isso acontecer, você pode rejogar fases anteriores para conseguir mais ExP e mais Ego. Mas saiba que rejogar fases de nível muito mais fraco do que está não concederá experiência. Mas ainda assim poderá conseguir novos itens, por exemplo.

Também não pense que poderá deixar os personagens fortes demais. Há uma limitação de nível, que só aumenta depois de derrotar um grande chefão. Sendo assim, não conseguirá deixar um personagem muito mais forte do que o necessário. Apenas aumentar níveis não é suficiente: para conseguir equipar equipamentos melhores, precisará aumentar a Scalability, e para isso precisará de Ego.

Equipamentos e Habilidades

Há diversos equipamentos que podem ser adquiridos para fortalecer o personagem. Basicamente, cada personagem pode usar uma arma, três peças de equipamento e armas especiais. A arma é única para cada personagem e não pode ser compartilhada. Peças de equipamento podem ser compartilhados, e a mesma peça pode ser usada por todos os personagens. Cada personagem pode usar apenas um estilo de arma específico, mas pode levar várias armas diferentes do mesmo estilo no inventário. Só com essa customização, não dá para mudar o esquema de jogo, mas para isso servem as armas auxiliares.

Há diversas armas auxiliares no jogo, de diferentes tipos. São espadas, escudos, lanças, até mesmo canhões. Cada uma exerce uma função específica, muito diferente de outra. Um escudo irá se comportar de modo diferente de um chakram, ou um canhão, por exemplo. Existem até mesmo variações do mesmo estilo de arma auxiliar, com ataques diferentes e níveis de força diferentes. Além de equipar a arma auxiliar, pode-se escolher quais ataques ele terá, e também equipar upgrades que causam efeitos positivos ou debilitantes na arma. São muitas combinações diferentes de armas auxiliares. Elas podem ser compartilhadas entre os personagens, mas como elas possuem funções específicas, é preferível que cada personagem tenha armas auxiliares que combinem com seu estilo de jogo. É possível equipar duas armas auxiliares em cada personagem, garantindo muita variedade de estratégias de ataque.

Equipamentos podem ser adquiridos durante as fases, mas armas auxiliares só podem ser conseguidas por meio de dados especiais. Esses dados são adquiridos ao derrotar chefes especiais. Você pode rejogar as fases e conseguir até três códigos com cada chefe, o que irá lhe garantir uma série de armas auxiliares para usar no decorrer do jogo. Além disso, há um personagem no jogo chamado Noah, que lhe concederá um código aleatório em troca de 20 Ego.

Tomar um Chá no Jardim

Entre uma fase e outra, as personagens voltam para Imitation Garden, a hub do jogo. Nessa hub, é possível gastar pontos de ExP para aumentar o nível das personagens e deixá-las mais fortes. Há sempre uma limitação de nível para cada personagem, que é estendido ao matar chefes importantes da história principal. Ganha-se ExP derrotando inimigos e chefes. Através da opção E.V.E. Tuning, é possível gastar pontos Ego para acrescentar atributos especiais de cada personagem. Ganha-se pontos Ego ao completar objetivos e assistir a cenas de diálogos entre as meninas. Também é possível conseguir Ego desmontando equipamentos que não deseja mais. Outra função útil do Imitation Garden é a Combat Support Programs, em que a Enoa troca os Codes adquiridos por novos itens e equipamentos.

A história do jogo avança por meio de diversos diálogos entre as garotas. Além dos longos diálogos obrigatórios entre as fases, poderá assistir a conversas extras no Imitation Garden. Muito da conversa opcional é banal e trivial, servindo apenas para ressaltar as características únicas das garotas. Mas os diálogos obrigatórios são muito interessantes, com discussões aprofundadas sobre temas como a natureza humana e a relação entre homens e máquinas. O áudio do jogo está em japonês, e com legendas em inglês. Estes são os únicos idiomas do jogo, então, se não souber inglês ou japonês, não conseguirá entender a história. Mas apesar do jogo possuir uma história bem focada e interessante, ela não é vital para poder jogar o game. Caso queira pular os diálogos e partir diretamente para a ação e o combate, é possível, de modo que poderá se divertir mesmo sem saber inglês.

Também há outras funções interessantes no Imitation Garden. Poderá trocar as roupas das personagens, por exemplo, apesar de que novas roupas só podem ser adquiridas por DLC, não dá para conseguir no jogo normal, infelizmente. Através da função Music Player, é possível ouvir todas as músicas do jogo, o quanto quiser. Novas músicas são liberadas conforme avança na história, tornando a seleção bem interessante, pois as músicas são bonitas e bem variadas. O jogo possui um Archive, onde é possível ler documentos que explicam conceitos complexos do jogo, revelam mais informações sobre as personagens e até mesmo possuem códigos que liberam fases extras.

Nem Tudo em Éden São Flores

Crymachina dura aproximadamente 20 horas para conseguir terminar a história principal. Não é pouco, apesar de metade desse tempo se passar apenas assistindo a diálogos e conversas. Há pouco o que fazer depois que a história principal termina, restando apenas algumas fases e chefes extras. Há diversas fases extras, com chefes de nível excepcionalmente alto, adequados para se enfrentar depois de terminar a história (e quando estiver bem forte).

Crymachina é divertido, e seu combate funciona bem. Os chefes são variados e podem ser bem complicados, exigindo bastante do jogador em termos de reflexo e adaptação. Porém, nem tudo são flores. Eu senti falta de um pouco mais de profundidade no combate do jogo. Mesmo com três personagens diferentes, chega uma hora que enjoa usar os mesmos combos e desvios o tempo todo. Os únicos elementos que podemos realmente variar no combate e que dão uma apimentada na estratégia são as armas auxiliares, mas seu uso é bem limitado. Depois que se “pega o jeito” do combate, passará o tempo todo desviando e usando os mesmos golpes. Seria legal ter armas mais diferenciadas, ou a possibilidade de customizar combos, por exemplo. Outros jogos de ação hack and slash no mercado mostram como dá para deixar as batalhas sempre variadas e frenéticas sem ficar muito cansativo.

Em geral, o jogo é muito divertido, minha principal crítica fica mesmo por conta da falta de profundidade no combate. Nada que afete o início do jogo, pois fica mais perceptível quando se está perto do final, com todos os personagens com nível alto e bons equipamentos. Quanto à dificuldade, considero bem perto do ideal, sendo o único problema a inconstância. Alguns chefes são fáceis no começo, e então começam a ficar difíceis, mas depois, com níveis altos e bons equipamentos, ficam fáceis novamente. Não é nada que incomoda, pois nunca fica fácil demais ou difícil demais, é apenas estranho morrer 30 vezes em um chefão para depois matar o próximo praticamente sem tomar nenhum golpe.

Crymachina – Vale a Pena?

Crymachina é um excelente RPG de ação japonês que visa atender a um público de nicho, mas certamente irá agradar muito bem o seu público. Com muita ação, vários chefes, uma história emocionante e personagens carismáticas, o jogo é uma grande surpresa do ano e merece a sua atenção.

Crymachina foi avaliado através de uma cópia gentilmente cedida pela NIS America – Agradecemos a cordialidade!

Confira também nossos outros reviews.

Crymachina

Gráficos - 9.5
Jogabilidade - 9
Diversão - 9
Som - 9.5
Dificuldade - 9
Fator Replay - 9

9.2

Crymachina é um excelente RPG de ação japonês que visa atender a um público de nicho, mas certamente irá agradar muito bem o seu público. Com muita ação, vários chefes, uma história emocionante e personagens carismáticas, o jogo é uma grande surpresa do ano e merece a sua atenção.

User Rating: Be the first one !

João Paulo Solano Lopes Filho

Sou um fã de videogames desde que me conheço por gente, principalmente de RPGs. Tento convencer os meus pais e a mim mesmo que não sou um viciado (acho).

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial